Entrevista

Mulheres bissexuais que se atraem mais por homens e são chamadas de hétero

Uma mulher que se atrai sexualmente por outra, mas não consegue engatar um relacionamento lésbico fechado por sentir falta de homem pode ser vista como hétero?

Pegação - Homem e mulher (Ilustrativo)
Pegação - Homem e mulher (Ilustrativo)

As mulheres bissexuais têm um leque interessante de possibilidades, não a opção de escolher o desejo, mas a faculdade de optar pelas relações, desde que haja o consentimento entre as partes – Homens bissexuais, homens héteros, mulheres bissexuais e lésbicas – O fato é que, por conta de alguns estigmas, existem também percalços na bissexualidade.

Não há uma linha delineada meio a meio para o bissexual. Alfred Kinsey, casado com Clara McMillen que contribuiu com as suas pesquisas, foi responsável por muitos estudos de sexologia. A famosa escala Kinsey é anos 40 e, independentemente de ser restritiva, serviu de norte para muitos pesquisadores posteriores. Nela, só pode ser considerado bissexual quem se atrai 50/50 homem/mulher. *Kinsey tem sim muitas acusações graves em seu nome. Aliás, alguém que trouxe o tema sexo de forma tão aberta nos anos 40 perturbaria as estruturas mesmo. Ele causou polêmica por escrever com todas as letras pela primeira vez que 62% das mulheres norte-americanas se masturbavam e que a maioria dos homens norte-americanos já havia feito sexo com uma prostituta*.

Mas enfim, saindo do teórico e partindo para o real, dentro da comunidade LGBT as violências acontecem de formas diferentes. A violência fatal pode atingir qualquer letra, mas os dados concedem alguns apontamentos específicos. O homem gay costuma ser alvo das agressões mais incisivas e violentas, as lésbicas são mais fetichizadas e têm as suas relações invalidadas e bissexuais recebem várias rotulações, de ser indeciso, trair mais e por aí vai.

Mulheres bissexuais como Anitta e Kefera, por exemplo, demostram sentir mais interesse por homens, mas isso minimiza a bissexualidade delas? Ana Hikari disse que a sua bissexualidade ficou ‘invisível’ para algumas pessoas, após assumir um namoro com um homem. Camila Pitanga também recebeu críticas. O Observatório G conversou com Ester Andrade, bissexual e diz que, sim, sente mais atração por homens.

O tesão por homens é maior, certo? O que você sente pelas mulheres? Existe possibilidade de afeto ou só fetiche e fantasia?

Eu admiro os homens, me sinto segura emocionalmente e tenho muita atração por eles. O afeto mais profundo por mulheres não só pode como já aconteceu, a atração sexual também. Mas não sei se namoraria uma, acabo sempre engatando relacionamento com homens héteros rs.

Quando você analisa a si mesma, se entende como mulher bissexual?

Sim. Para mim, ser hétero é ter atração exclusiva pelo sexo oposto, quando eu digo que tenho atração recorrente por mulheres, mesmo que seja em menor grau quando comparo com homens, já me coloco como bissexual. Caso contrário, nós nunca vamos conseguir delimitar o que cada orientação sexual corresponde, vai ficar uma coisa sempre fluida. Acredito que ser hétero é só gostar do oposto, ser homossexual é gostar somente do mesmo e ser bissexual é a possibilidade de apreciar os dois sexos ou gêneros.

Algumas pessoas defendem que não existem diferenças indissociáveis entre homens e mulheres, que é mais uma questão cultural. Pra você, existe diferença entre eles?

Dentro das experiências que tive existe sim. O homem traz uma agressividade bem maior, tanto na abordagem, conquista como na postura de forma geral. Aqui falo de homens bissexuais e héteros.

Você entende que, caso esteja dentro de uma relação heterossexual e cis, você será lida socialmente como hétero e não vai sofrer as represálias que costumam acometer gays e lésbicas?

Perfeitamente. Mas o fato de ser lida como hétero no primeiro momento é uma prova de que as pessoas ainda não enxergam a bissexualidade com a credibilidade que ela deveria ter, já que sempre existiu. O ideal seria não ser lida como nada, já que a pessoa teoricamente não me conhece, né. Mas entendo o nosso espectro social, mas torço para que as pessoas entendam também que orientação sexual é inerente, e o fato de eu estar com um homem não me tira a bissexualidade.